Noko Química

Lá se vão mais de 20 anos em que os primeiros embarques da Noko Química ao concorrido e exigente mercado externo tiveram início. A expertise adquirida nessas mais de duas décadas de negócios com os maiores mercados de couro e calçado do mundo conduziram a empresa, pela quinta vez, ao Prêmio Exportação RS 2017, conferido pela Associação dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil (ADVB/RS). Considerado o principal do gênero no Brasil, o prêmio será entrega na noite próxima quinta-feira, 13 de julho, no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre.

Para o diretor Ivo Schüler, o troféu na categoria “Destaque Setorial/Químico” coroa uma iniciativa ousada que teve origem nos anos 90, num cenário em que a indústria química brasileira ainda construía a sua reputação junto aos principais players globais. “Precisávamos provar que éramos parceiros capacitados, aliando eficiência a preços competitivos aos nossos produtos. Apostamos em tecnologia, pesquisa e inovação para que os insumos da Noko conquistassem seu espaço e hoje toda a nossa equipe, altamente técnica, comemora esse reconhecimento”, destaca.

Atualmente, cerca de 30% da produção da empresa é destinada para além das fronteiras do Brasil. A Noko abastece curtumes de mais de 20 países, inclusive México, China, Índia e Estados Unidos, que figuram entre os principais mercados consumidores de couro do mundo. Resultado disso é que a marca Noko se insere entre os principais fabricantes globais que empregam couro em seus produtos e os comercializam com marcas de renome internacional.

Também diretor da empresa, Osmar Reis enfatiza que as especialidades químicas Noko são empregadas não apenas em couros, mas também calçados, artigos de moda, estofamento automotivo e moveleiro e demais artefatos dessas cadeias. “Desenvolvemos soluções altamente tecnológicas de acordo com as necessidades específicas de cada cliente, dentro e fora do País”, garante Osmar.

O gerente industrial da empresa, Ricardo Peres, acrescenta que a linha Noko aplica-se em todas as etapas produtivas, que têm início no curtimento e se encerra no acabamento do couro, como pinturas e texturas. “O Prêmio Exportação RS não apenas nos mostra que alcançamos êxito junto aos principais mercados globais, mas também nos credencia como o parceiro ideal da indústria nacional, que nem sempre coloca a qualidade em primeiro lugar. O Brasil tem enorme potencial exportador que ainda não é totalmente explorado. Para isso, no entanto, tem de investir em produtos de maior valor agregado, e aí a qualidade e a tecnologia deve estar presentes em cada detalhe”, analisa. Ivo Schüler enfatiza justamente o fato de a Noko — uma empresa jovem, de capital 100% brasileiro e tecnologia totalmente nacional — obter credibilidade internacional tendo, ainda, a desvantagem de enfrentar o chamado “Custo Brasil” e a volatilidade cambial. “O cenário, sempre desafiador, acaba por nos servir de motivação para seguirmos em permanente evolução. Daí a razão pela qual conseguimos crescer mais de 10% lá fora em 2016, em relação ao ano anterior, mesmo com a maior crise da história do Brasil”, afirma o diretor.

Maior distinção que uma empresa exportadora pode obter no País, o troféu da ADVB eleva o nome não só da Noko, mas também de Portão, ao
seleto grupo de indústrias gaúchas que desbravam mercados globais. O Prêmio Exportação RS é um marco em razão da credibilidade e importância
que traz há 40 anos. “Este reconhecimento nos move a lutar ainda mais por aquilo que acreditamos. Fica o desafio de continuar a construir nossa história no Brasil e fora dele, apesar das desvantagens competitivas de infraestrutura e elevada carga tributária”, cita Ricardo Peres.

Sobre a Noko

A Noko Química produz insumos químicos para couros, calçados, artefatos, vestuário, estofamento moveleiro e automotivo. Fundada em 1990, a empresa fabrica uma média de 1.350 toneladas/mês de produtos, operação desempenhada por 140 colaboradores. Além de ações estratégicas de fidelização dos clientes, através de visitas técnicas e demonstrações de novas tecnologias e tendências de moda, também participa de feiras nacionais e internacionais do setor para manter-se em posição de vanguarda, no Brasil e fora dele.